O Google e a minha mãe

Sou paranóica com quase tudo na vida, vocês sabem.
Mas com uma coisa nunca fui.
Não sou o tipo de pessoa que vê uma barata e começa a gritar maluca. Tenho amiga que chora, grita e faz escândalo . Com rato e pombo eu faço, com barata não.
Se precisar muito eu mato até com a mão.
Tenho nojo? Tenho, mas não me descabelo com isso.
Piso em cima e acabou o problema.
Peço até desculpas.
Plaft- barulho de esmagamento.
-Miga, sorry. Mas eu tenho que fazer o que a sociedade espera de mim.
Confesso que, às vezes, nem mato.
Converso com elas.
Um dia estava tão cansada, mas tão cansada, que mal conseguia me mover.
Deitada no sofá, vi uma de longe.
-Não acredito que vou ter que levantar para te matar. Vamos fazer o seguinte: vou fingir que não estou te vendo, ok? Fica bom para nós duas. Pensa que Deus está te dando uma segunda chance, aproveita. Some nesse mundão.
Essa era inteligente e não perdeu a chance.
Mas tem outras muito burras, não me conformo.
Esses dias uma delas veio vindo na minha direção.
-Miga do céu, que cê tá fazendo? Foge, sua louca .
E ela continuou até chegar no meu pé.
Até ficar cara a cara com a sola do meu sapato.
Até hoje não sei se ela estava me desafiando ou era cega.
-Assim você me complica, vou ter que te matar, olha onde vc tá? Embaixo do meu pé.
Plaft- barulho de esmagamento.
Não tive outra alternativa, mas acho que matei uma uma líder, ou alguém muito importante no mundo delas e sofri retaliação.
Dias depois estava me arrumando para sair e quando coloquei o sapato senti
um negócio estranho, mas continuei andando.
Comecei a ouvir um crack crack.
Tirei o sapato.
Ela saiu meio mancando, meio morta, meio viva e totalmente massacrada pelo meu pé.
Fiquei em estado de choque por alguns segundos.
Quando vi meu dedão tava vermelho.
Ela tinha me mordidoooooooooooooooooooo.
Quantas pessoas vocês conhecem que foram mordidas por barata?
Corri para o Google, que mandou passar álcool, que avisou que podia infeccionar, que poderia causar infarto do miocárdio, futuramente câncer e que eu poderia morrer em seguida agonizando sem nem conseguir pedir ajuda.
Aff Google, cala a boca.
Passado o choque e tudo desinfetado fui contar para minha mãe.
-Mãe, uma barata me mordeu.
-Barata não morde.
-Essa mordia meu dedão tá vermelho.
-Não era outro bicho?
-Mãe era barata, esmaguei ela com o pé, fez até crack.
-Meu Deus, então não era do Brasil.
Minha mãe tem os melhores comentários do mundo.
Conto que fui mordida por uma barata e ela acha que era uma barata internacional.
“Barata daqui não morde”.
-Claro que era do Brasil, como que ia chegar aqui uma barata europeia? Essa saiu de dentro do ralo de Pinheiros, absolutamente paulistana, se duvidar votou até no Dória, pude até ouvir ela falando: Mano do céu enquanto cambaleava.
– “Meu deus, desinfeta urgente, isso pode causar uma doença grave e até matar”

-Tá.

Se vocês forem mordidos por baratas um dia não procurem duas pessoas:
O Google e a minha mãe.
Desinfetem e continuem a vida.
Vai ficar tudo bem.